O paradoxo de se morrer mais por falhas de atendimento do que de doenças.